Será que escolhemos bem?

Tanto os meus pezinhos como os do #42 vão entrar numa altura de tomada de decisão importante para o desenvolvimento do #27.

O tempo passa a correr e é já este ano que vai entrar para a escola primária (prometo que não é um post lamechas de mãe em ataque de saudosismo agudo, mas sim uma partilha de ideias … milhares de outros pés devem estar a sentir o mesmo … para além do frio!).

É a primeira vez que nos vemos confrontados com uma decisão deste tipo. Quando foi a entrada para a creche, pareceu-me mais simples. A oferta não era muita, por isso visitamos as instalações, falamos com a coordenadora e acabamos por colocá-lo num sítio que o permitiria seguir até ao fim do pré-escolar. Até agora! Mas parece que a decisão da escola primária (pareço uma velha, que ainda não  me habituei aos novos termos: 1º ciclo) é mais pesada. Afinal de contas é aqui que eles vão começar a criar o gosto pela escola, pelo processo de estudo. Tenho lido alguns artigos, sobre a como escolher a melhor escola, sobre métodos de ensino alternativos, mas nada me deixou totalmente esclarecida.

Por exemplo, este ajuda-nos a ponderar 5 pontos essenciais. Além disso têm uma abordagem bastante interessante ao ensino publico, com a qual concordo. Passo a citar:

“Uma premissa: o ensino público é gratuito e igual para todos; é mais democratizante porque na escola estão meninos de todos os estratos sociais. Na mesma turma podem estar os filhos dos empresários e os dos assalariados; podem estar os dos doutorados e os dos que se ficaram pela antiga quarta classe. Os meninos que querem mesmo estudar e têm objetivos para o sucesso e os que estão na escola porque são obrigados. É na escola pública que estão os meninos com necessidades educativas especiais. Esta diversidade é importante porque a nossa sociedade não é feita de um único tipo de pessoas, porque com esta heterogeneidade podemos promover a solidariedade dos nossos filhos para com os colegas, por exemplo, mais frágeis e que precisam.”

Mas hoje em dia (e confesso por desconhecimento) acho que, tanto no publico como no privado (com excepção daqueles que se seguem por metodologias de ensino alternativas) as crianças deixaram de brincar livremente e são enfiadas numa sala de aula, todo o tempo sentadas a ouvir alguém debitar matérias. Depois disto são entupidas de actividades até ao final do dia. Chegam a casa esgotadas, têm que ainda realizar algum trabalho que ficou para trás e pouco sobra para realmente serem crianças, para estarem com os pais.

Eu sei … eu sei! Dramático demais. Sei que sim!

Por isso vamos ponderar muito bem todos os prós e contras … estou a muito pouco de fazer uma tabela de excel para a entrada do #27 na escola … mas acho que se o fizer o #42 manda-me internar antes do primeiro dia de aulas!

E desse lado, também estão no mesmo processo de decisão? Ou já passaram por ele? O que estão a levar ou levaram em consideração?

#38

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s